“Vaidade demais”

Isso retrata bem a nossa sociedade contemporânea.

Sortimento

Olá!!!

Em tempos de selfiewishlist e ostentações, muitas vezes reflito sobre a superficialidade dos valores. Há tanto egocentrismo, consumo desenfreado, exibicionismo, gente seguindo tendências de consumo sem se questionar… me parece que andamos um pouco perdidos.

Pensando em tudo isso, gostaria de compartilhar com vocês o texto abaixo, “Vaidade demais”, da colunista Lisandra Pioner, publicado em 11 de julho no caderno Vida do jornal Zero Hora. Achei um texto excelente, com argumentos claros e plausíveis, um retrato fiel e abrangente do que temos visto por aí.

“Vaidade demais

Por Lisandra Pioner

E então a gente depara com uma lógica cada vez mais utilizada na sociedade contemporânea: “Consumo, logo existo”. E nem percebemos que somos seduzidos por ela e que (pior!) a reproduzimos para nossas crianças – produtos desse processo.
Muitas vezes nem é algo consciente, está intrínseco em nossas ações. É a academia que frequentamos à exaustão para…

Ver o post original 490 mais palavras

Sobre Zena Ribeiro

Ela sai de casa carregando seus sonhos. Ela é intensa em tudo. Ao seu redor o mundo passa, e ela vai levando a vida com toda a sua intensidade, ela até tenta, mas não sabe ser diferente, ou indiferente, não sabe ser meio termo, mais ou menos, um pouquinho... O ritmo dos seus passos revela uma mulher que aparentemente transborda força, mas em seu interior só ela mesma pra saber o quão frágil é, às vezes, mas ela tenta esconder essa fragilidade e na maioria das vezes até consegue. Ela olha em volta com olhos de criança, que descobrem os sentidos da vida a cada dia. Seus passos são firmes, de uma mulher que respeita suas vontades, que escuta seus sentimentos e entende sua força e sempre segue o seu coração. Em sua caminhada percebeu que simples detalhes fazem toda a diferença, guarda cada palavra dita, lembra de cada conversa e imagina o porquê atrás de cada ação. Pensa e repensa o significado de tudo, pode se magoar com uma simples palavra, assim como pode sorrir o dia inteiro também. Por mais que a vida diga não, ela aprendeu que pode ser quem quiser. Aprendeu que não é melhor e nem pior que ninguém, mas também aprendeu a reconhecer seu valor. Depois de tanto tentar se encaixar nos padrões de beleza aprendeu que mulher bonita é a que luta. Que luta sempre e grita quando necessário. Aprendeu a correr atrás dos seus objetivos, mas o mais importante aprendeu a não se culpar quando as coisas não acontecem como planejadas. Ela não aceita galanteios gratuitos, ela não aceita desaforos, ela não aceita que encostem sem sua permissão, ela não aceita que a rotulem, ela não aceita que decidam sobre seu corpo, ela não aceita que decidam sobre sua vida, ela, a pessoa mais importante da sua vida, não aceita.... Ela que todos os dias dorme com a esperança de que amanhã vai ser melhor, ela que é tantas, ela que é todas... Ela sou eu. Todo dia acordo e não sou mais a mesma de ontem, eis a dificuldade de me descrever...
Esse post foi publicado em Vida. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para “Vaidade demais”

  1. Arwen disse:

    Muito bem dito. A necessidade de ter e mostrar que tem está cada dia mais sufocante. Esse consumo desenfreado chega a ser uma doença social.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s